É bem Mato Grosso

1

Querendo fugir de férias cliché? Então nada melhor do que visitar lugares lindos como os que o Mato Grosso apresenta, e para nos guiar por esses lugares fantásticos a melhor guia de todas… Raquel!

Sou gaúcha de nascimento, como já falei na biografia, mas mato-grossense de coração e sendo assim, não poderia deixar de fazer um “post” marketing. Na verdade serão três, devido à quantidade de fotos. O título é referência da música regional escrita por Pescuma (sendo possível, escute-a).

A maioria dos leitores é residente na região sul, poucos conhecem o centro-oeste, quase nunca a região esta na rota de turismo dos brasileiros (existem lugares mais visitados por estrangeiros). Pensar, planejar, viajar são dicas para as próximas férias ou um breve feriado, aproveite.

O estado de Mato Grosso é muito vasto territorialmente, logo, o que mostrarei são frações desta beleza que entrelaça biomas como o Cerrado, Pantanal e Floresta Amazônica. Biomas que se misturam, retroalimentam… Sinceramente, a fotografia registrada na máquina não se compara ao registro ocular, olfativo, auditivo…é recordação de mente e coração. As fotos (arquivo pessoal) até registram belezas “turísticas”, mas o realmente belo é o saber da comunidade, incorporar tradições, aprender história com aqueles que contam com emoção, zelar da natureza, observar como é perfeita a cadeia alimentar e os ciclos biogeoquímicos sem a interferência humana…

No sul do estado, o pulso de inundação sobre as extensões de planície, na estação das chuvas, transforma o belo Pantanal. Triste ver grande parte desta diversidade vegetal e animal se esvair com o aumento do desmatamento. Tomar a consciência da necessidade que o bioma faz para manutenção de nossa própria vida é anseio contemporâneo.

Pórtico da cidade de Poconé (aproximadamente 100 km da capital Cuiabá, pelo “maps” consegue ter uma boa noção da sua localização no mapa).

Início da Estrada Transpantaneira – caminho de belezas para refúgios naturais.

Transpantaneira – para aventureiros que gostam de lama, muita lama, na época das águas. Chuva faz parte do caminho, na maioria das vezes.

Transpantaneira – não tenha pressa, sua hora vai chegar, o manejo do rebanho é essencial.

Ninho de Tuiuiú – maior ave voadora e símbolo do Pantanal.

Um pouco mais de perto, com seu branco, vermelho e preto – Tuiuiú.

Não faça barulho, ande devagar, mantenha distância, eles estão em seu habitat, você é apenas visita.

Pastejo das Capivaras.

Emas – não voam, mas são consideradas as maiores aves brasileiras.

Garça: apesar de ser distribuída por todo o território brasileiro é de grande importância para o Mato Grosso.

Inundação e vegetação: complementar e alimentar…

Aglomerado de aves no entardecer sobre as árvores na beira da inundação.

A lua resplandecente ilumina o sonhar do mato-grossense.

 

 “No teu verde planalto escampado; E nos teus pantanais como o mar; Vive, solto, aos milhões, o teu gado; Em mimosas pastagens sem par!” (Corrêa, F. de A.).

você pode gostar também Mais do autor clique aqui

1 comentário

  1. Christina Trautmann Diz

    Parabéns filha! Bela descrição festa terra hospitaleira q tão bem nos acolheu…..já são praticamente 30anos de MT…Aqui crescemos, nos sentimos bem….porisso o adotamos como nosso Estado-lar.
    Realmente, vale a pena conhece-lo. Terra simples, povo hospitaleiro, e rico em Belezas Naturais. ❤❤💚💚

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.